Home » , » Segundo balanço, mortes na BR-356, Noroeste Fluminense, cresceram 16%

Segundo balanço, mortes na BR-356, Noroeste Fluminense, cresceram 16%

Potado por: Jornalismo - terça-feira, 23 de dezembro de 2014 | 08:15


De acordo com Polícia Rodoviária Federal, imprudências são grande motivo.
Número de mortes aumentou mesmo com queda de número de acidentes.



Um balanço de acidentes graves feito pela Polícia Rodoviária Federal, em 10 meses, detectou que o número de mortes na BR-356, no Noroeste do Estado, cresceu 16% este ano em relação a 2013. Segundo o estudo, um dos maiores motivos é o excesso de velocidade.

A BR-356 corta cinco municípios do Norte e Noroeste do estado. Ao longo dos 184 Km de pista, muitas imprudências são encontradas. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, entre janeiro e outubro desse ano, o número de acidentes caiu 32% em relação ao ano passado, mas o número de mortes aumentou.

Luciano Silveira, que trabalha como borracheiro em Retiro do Muriaé, distrito de Itaperuna, já presenciou cinco acidentes com três mortes apenas nesse ano. "Aqui já caiu carro e de vez em quando tem carros batendo na esquina. Eu tô aqui mesmo para salvar o motorista que fica a pé", conta.

Irregularidades são um dos principais motivos dos acidentes

De acordo com a assessoria de comunicação, a Polícia Rodoviária Federal fiscaliza constantemente a BR-356 para evitar coibir a imprudência de motoristas. De acordo com eles, as fiscalizações são feitas com apoio da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Ministério Público Federal e Polícia Militar.

Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), a manutenção de equipamentos eletrônicos, como radares, é feita por empresas terceirizadas. Eles também mantém na BR-356, do KM 0 ao  188, o Programa BR-Legal, que tem por objetivo a renovação  e recuperação de toda a sinalização, tanto horizontal quanto vertical. Em relação aos equipamentos eletrônicos, o DNIT d que atende ao projeto técnico prévio, do programa de implantacção barreira eletrônica.

Fonte: G1
Espalhe por aí :
 
Share English German French Arabic Chinese Simplified