Home » » Você tem muitos gases? Descubra como se livrar deles!

Você tem muitos gases? Descubra como se livrar deles!

Potado por: Jornalismo - sexta-feira, 12 de dezembro de 2014 | 17:39

Gases em excesso, arrotos frequentes e a sensação de inchaço no abdômen. Muitas são as pessoas que apresentam estas características, causadas pelo aumento dos gases intestinais. Para se ter uma ideia, segundo o "Estudo SIM Brasil – Saúde Intestinal da Mulher", coordenado pela Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), 67% das mulheres entrevistadas sofrem de problemas intestinais. Ainda de acordo com o levantamento, os problemas gastrointestinais mais comuns são gases, inchaço, sensação de peso e prisão de ventre.

O estudo entrevistou 3.500 mulheres, entre 15 e 60 anos em dez capitais brasileiras.Desta forma, pode-se concluir que um intestino em má funcionamento afeta negativamente também a vida sexual das mulheres, além de impactam no humor e causar cansaço e perda de concentração. No entanto, apesar de ser um problema que traz muito desconforto, pouquíssimas pessoas dão importância a estes sintomas. "Isso ocorre porque muitos consideram esse problema normal", diz o gastroenterologista Eduardo Usuy Jr., gastroenterologista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Você sabe o que é flatulência? "É o aumento da produção de gases, ocasionada pela fermentação excessiva dos resíduos alimentares - no intestino - ocasionada pelas bactérias do próprio órgão. Estes gases provocam uma distensão abdominal e, com isso, a barriga incha, causando dores e desconforto.

Quem sofre disso costuma se queixar que este mal-estar acontece principalmente no final do dia", explica Eduardo, ex-presidente da Sociedade Catarinense de Gastroenterologia e da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva de Santa Catarina.No entanto, o que as pessoas desconhecem é que um intestino saudável é sinônimo de saúde. Nele estão cerca de 100 milhões de neurônios conectados com o cérebro e mais de 70% das células de defesa do nosso corpo. Além disso, é no intestino que se origina a maior concentração de serotonina no organismo, um dos hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar.

De acordo com o médico gastroenterologista Fernando Valério, especialista em cirurgia do aparelho digestivo e membro do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva (CBCD), a eliminação desses gases, ou flatos, acontece numa média de 10 a 20 vezes ao dia em pessoas normais. Mas essa produção varia e está associada a hábitos alimentares (dieta) e fatores individuais, como segurar uma ida ao banheiro com frequência. "Além disso, os gases podem indicar ainda algumas doenças intestinais como a constipação intestinal, a Síndrome do Intestino Irritável (SII) e outros quadros que podem obstruir o funcionamento do intestino", adverte Fernando.

Os gases se formam de duas formas: com o ar que engolimos (aerofagia) durante as refeições e na respiração, ou por causa da produção de gases pelas bactérias do nosso intestino, sendo a primeira a principal fonte de gases no estômago. Fernando explica que esse ar que ingerimos contêm nitrogênio e oxigênio como os principais gases. Entretanto, essa certa quantidade ingerida é natural quando comemos alimentos e bebemos líquidos. Já a produção de gases no intestino ocorre devido a fermentação de bactérias ali localizadas, especialmente quando ocorre a digestão de proteínas, açúcares e gorduras.

Causas mais comuns dos problemas intestinais

Ainda segundo o estudo "Estudo SIM Brasil – Saúde Intestinal da Mulher", as causas mais comuns para os problemas intestinais acontecerem são a má alimentação (77%), o estresse e o aborrecimento (61%), o sedentarismo (52%), o cansaço ou falta de tempo (45%) e, para 40%, ficar sentado por longos períodos. Por isso, ir ao banheiro com regularidade e evitar "segurar" essa ida ajuda a evitar o problema. "Deve-se prestar atenção na frequência que se vai ao banheiro. O recomendado é ir entre três vezes ao dia ou uma vez a cada três dias. Mais ou menos é sinal de que algo vai mal. Caminhar ajuda a liberar os gases", diz a nutricionista Paula Castilho.

"O diagnóstico é feito por um exame chamado teste do hidrogênio expirado, no qual a pessoa sopra em um aparelho que identifica se há aumento de hidrogênio, o gás produzido quando as bactérias do intestino fermentam o alimento em excesso. O tratamento pode ser feito com antibióticos específicos. Hoje a gastroenterologia está bem avançada neste assunto e oferece o tratamento correto para melhorar a qualidade de vida do paciente", completa Eduardo Usuy Jr. 


Espalhe por aí :
 
Share English German French Arabic Chinese Simplified