Home » , » Parlamentares do PR almoçam com Pezão que destaca papel do partido mesmo como oposição

Parlamentares do PR almoçam com Pezão que destaca papel do partido mesmo como oposição

Potado por: Jornalismo - quarta-feira, 2 de setembro de 2015 | 14:10


A história de aproximação da maior parte da bancada do Partido da República (PR), formada por oito deputados, com o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) ganhou novo capítulo nesta terça-feira (1º/09). Com a presença do presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Jorge Picciani, do líder do governo, o deputado Edson Albertassi, o chefe de gabinete do governador Affonso Monnerat e ainda o secretário de governo, o deputado e ex-presidente da Alerj, Paulo Melo, os parlamentares foram recebidos para um almoço no Palácio Guanabara.

Os oito deputados Geraldo Pudim, Rogério Lisboa, Renato Cozzolino, Márcia Jeovani, Felipe Soares, Bruno Dauaire, Nivaldo Mulin, Jair Bittencourt participaram do encontro. Segundo o primeiro secretário da Alerj, o deputado Geraldo Pudim a pauta teve como temas a crise econômica pela qual passa o país e seus desdobramentos no estado do Rio de Janeiro e nos municípios fluminenses.

Pezão destacou a atuação da bancada do PR que, mesmo sendo de oposição, tem votado com responsabilidade e coerência projetos que visam a recuperação econômica do estado e garantem governabilidade em momento de crise.

"A Assembleia Legislativa vem atuando desde o início do ano para auxiliar o Governo do Estado a conter os efeitos da crise, bem como reduzir gastos. Neste primeiro semestre economizamos mais de R$ 129 milhões, sendo que R$ 86 milhões com pessoal, o que evitou que o tesouro estadual, responsável por estes pagamentos, desembolsasse esta enorme cifra. Uma economia orçamentária muito importante e que alivia as contas do Governo", destacou o primeiro-secretário e responsável pelo ajuste nas contas da Alerj, Geraldo Pudim.

Dentre as medidas para minimizar os efeitos da crise a Assembleia Legislativa também aprovou a transferência de R$ 6 bilhões advindos de depósitos judiciais do Tribunal de Justiça para Rio Previdência o que evitou atraso no pagamento de aposentados e pensionistas estaduais. Além disso, a Casa Legislativa aprovou a lei Lei 7020/2015 que autoriza o Executivo a celebrar o termo de ajuste de conduta tributária, que segundo o secretário de Fazenda, Julio Bueno, ajudou na arrecadação de R$ 3 bilhões.



ELEIÇÃO DA MESA
A audiência com o governador celebrou ainda o primeiro encontro entre as partes que tiveram papel preponderante na eleição de que definiu a mesa diretora da Alerj. Foi a bancada PR, formada por oito deputados que determinou a eleição de Jorge Picciani para novo mandato de presidente. A disputa contra Paulo Melo tinha de um lado a maioria defendendo o voto para Picciani, enquanto que a filha do ex-governador e presidente estadual do partido, a deputada federal Clarissa Garotinho defendia a eleição de Paulo Melo, até então ferrenho adversário político do grupo e principalmente do pai.

A condição de segunda bancada na Alerj deu ao PR a possibilidade de eleger na chapa de Jorge Picciani, Geraldo Pudim como primeiro secretário, além da indicação para presidências e vices de comissões como da Saúde, Segurança e CCJ.

DE SAÍDA
Os rumos são cada vez maiores dando conta da grande ruptura dos parlamentares que se elegeram no PR, o que deve atingir ainda a bancada federal, sendo que esta não participou do almoço. Geraldo Pudim, mesmo não tendo dado ainda entrevistas confirmando quando sairá do partido, já deixou o grupo de Garotinho, a quem esteve aliado por 30 anos.

Apontado pelo presidente estadual do PMDB, Jorge Picciani como nome preferido para disputa da eleição municipal de Campos em 2016, Pudim já deu todos os indicativos da ruptura no campo político e parece estar dependendo apenas da “janela” a ser aprovada no Congresso Nacional. Pudim já declarou publicamente que “com janela, porta ou da forma que for, deve deixar o grupo político por entender que não há mais espaço para ele”.

Outro que, assim como Pudim, foi penalizado publicamente pelo PR, foi o deputado Jair Bittencourt, que segundo informações não oficiais pode estar seguindo para o PP.

Nivaldo Mulim, irmão do prefeito de São Gonçalo, Neilton Mulim e Márcia Jeovani, esposa do prefeito de Araruama, Miguel Jeovani, também estariam de malas prontas para o PMDB. Já Rogério Lisboa, que até poucas semanas era o líder da bancada na Alerj e passou o bastão para Jair Bittencourt, e que tem pretensões de disputar a eleição em Nova Iguaçu, também já sinalizou o desejo de deixar o PR, podendo pintar no PSB de Romário.

Os únicos que devem permanecer no PR são Bruno Dauaire, Renato Cozzolino, muito bem avaliado em sua cidade, Magé, onde é pré-candidato a Prefeito, e o pastor Felipe Soares.

Fonte Redação / Ascom
Espalhe por aí :
 
Share English German French Arabic Chinese Simplified